Total de visualizações de página

quinta-feira, 31 de março de 2011

COMPLEXO DE BASTARDIA


 


           Quando comecei a me entender por gente, uma coisa que me intrigava era o fato de não conhecer todos meus parentes, principalmente meus ascendentes.
           No Brasil, salvo algumas famílias privilegiadas, o máximo que se conhece são os bisavós.
           Quando comecei a ouvir falar de Freud, Jung, Lacan e outros estudiosos da alma humana, me passou pela cabeça estudar um dia a população brasileira do ponto de vista psico-social.
           Não foi o que aconteceu, porque meus estudos tomaram outro rumo, mas a idéia nunca me saiu da cabeça e alguma coisa tenho escrito e anotado sobre o que chamo de complexo de bastardia.
           Entendo por complexo de bastardia um conjunto de pensamentos, idéias, atitudes e comportamentos do povo brasileiro que parece único na cultura dos povos e que parecem derivar do fato do brasileiro não conhecer suas origens.
          O povo europeu quando chegou à América e especialmente ao Brasil já convivia com a escrita por muitos séculos, entretanto quando aqui chegou encontrou uma civilização que não conhecia a escrita. Aliado a isto, as condições de colonização eram extremamente difíceis o que tornaram mais complicada a criação de serviços cartorários com manutenção de anotações,registros, livros e arquivos dos nascimentos, casamentos e atos da vida civil.
          Isto fez com que nossa história fosse resvalando para a caixa do esquecimento e nossas origens fossem perdendo-se paulatinamente ao avançar dos tempos.
          Hoje não sabemos quem somos.



Continuação no livro Noite em Paris, breve nas livrarias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário